Recap deste último ano: Onde eu tenho estado?

by - 19:00

Uma explicação

Onde eu tenho estado... Onde eu não estive é a verdadeira questão... Bem, quando eu publiquei aqui blog pela última vez em Dezembro de 2020 (the shame..), eu estava freneticamente a preparar publicações que iriam sair em 2021. Eu praticamente passei as férias de Natal e aquele mini-confinamento a escrever e desenvolver coisas interessantes para aqui e para o Instagram, estava super motivada em me atirar de cabeça ao meu projecto Com Amor e de alguma forma organizar a minha vida. Tudo parecia correr super bem, durante o mês de Janeiro tive alguns percalços para resolver mas parecia que finalmente eu iria conseguir organizar tudo... agora esta é a parte da história em que eu conto que depois descobri que estava grávida e comprei uma casa, daí a longa ausência aqui no blog. Chocados? Também eu! Não que isto seja uma impressionante desculpa para explicar o abandono do meu blog e das redes sociais, mas a verdade, é que foi o que aconteceu.

Não tenho certeza do porquê de ter deixado o tempo passar, ou mesmo como. Eu estava num auge fantástico de organização e de criatividade, estava empenhada e considerava que 2021 ia ser um ano em que ia ser uma blogueira e colocar bastante trabalho e esforço a fazer esta coisa criativa e maravilhosa on-line (chame de influenciadora ou o que quiserem) em tempo parcial, mas eu senti-me muito culpada por não o ter feito. Eu acho que as coisas mudaram e evoluíram neste sector muito mais do que eu gostaria de reconhecer às vezes. Como todos sabemos, o Instagram assumiu em grande parte o controlo da blogosfera e, portanto, muitas pessoas abandonaram os seus blogs (ou hoje nem precisam de começar um), em favor de um conteúdo curto mais frequente. Houve uma mudança real na maré e eu acho que inconscientemente deixei-me ir com ela, tentando justificar com o facto de a minha vida ter dado uma volta de 360 graus.




Onde eu estive?

Bom, tal como referi, em Janeiro as coisas corriam bem a nível criativo e eu estava a tentar organizar tudo para ter tempo para tudo: blog, Instagram e projecto pessoal; sem deixar a minha vida pessoal e profissional de parte. Mas no ínicio de Fevereiro as coisas mudaram. Recebemos a notícia de que a escritura da nossa casa seria em Março e no dia 5 de Fevereiro eu descobri que estava grávida.
Não posso dizer que foi um choque total, porque no fundo do meu consciente eu sabia que aquilo podia e iria acontecer este ano, mas não esperavamos que fosse tão rápido. Para quem não está a perceber nada, em 2020 nós (eu e o meu namorado) decidimos que estava na hora de juntar os trapinhos, e também falámos sobre em 2021 iniciarmos a nossa família. O plano era que em 2020 tivessemos a casa e em 2021 pudessemos começar a tentar engravidar, sem pressões e no nosso ritmo, sempre com o lema de "que sera, sera", mas acabou por acontecer mais cedo. Foi um mix de emoções onde nos sentíamos felizes mas ao mesmo tempo assustados e preocupados, afinal ainda estávamos no processo da compra da casa (que estava sempre a ser adiada devido aos proprietários) e para além disse ainda teriamos toda uma casa para preparar; desde obras, à compra dos móveis, tratar das burocracias todas e agora acrescentava-se a preparação da chegada de um filho. 

E vocês devem estar a questionar-se "ok, tudo isso aconteceu em Fevereiro/Março, mas e o resto do ano?"; bom, o resto do ano foi meio que uma loucura. A gravidez não foi de todo fácil. No mesmo mês em que descobri que estava grávida tive uma ameaça de aborto que me fez ficar em casa de baixa, daí que tudo o que tinha planeado de acontecer a nível de conteúdos ficou em stand-by. Em Março regressei ao meu trabalho full-time e tudo parecia bem, apesar de que foi o mês da escritura da nossa casa e então fiquei carregada de burocracias e papelada por tratar. Pior cenário no meio disto tudo? Começaram também os sintomas da gravidez e não querendo me fazer de sofrida, foi horrível! Eu vomitava tudo o que comia e até o que não comia, do dia para a noite o meu corpo tornou-se cansado e eu passava a vida a dormir nos meus tempos livres (literalmente!). Eu parecia um zombi e o blog, o Instagram, os projetos foram ficando para trás, bem no fundo da minha lista de prioridades.
No dia 31 de Março, contra todas as probabilidades, o insólito aconteceu: escriturámos a nossa casa! Nesse mesmo dia recebemos a noticia de que ainda não nos poderíamos mudar para ela pois os antigos proprietários não tinham para onde ir, posso dizer que isto para mim foi um mix de emoções; por um lado compreendia a situação, por outro queria ignorar e eles que se desenm*rdassem. Só no dia 15 de Abril é que recebemos as chaves da nossa casa e agora era o momento de começar as obras e de tratar de todas as outras burocracias como a abertura de água, luz, gás; tratar de papeladas das finanças, IMI, Junta de Freguesia, alteração de morada fiscal e por aí vai. 
Em Maio voltei a ter ameaça de aborto/risco de parto muito prematuro, desta vez bem mais grave que em Fevereiro o que me fez ficar de repouso e ficar também o resto da gravidez em casa. Percebi que nesta altura era tempo de desacelarar e focar naquilo que realmente importava, cuidar de mim o melhor que podia, preparar a casa e preparar a chegada do meu filho. E assim foi. Os meses seguintes foram a descansar e tratar do que dava para tratar. Em Agosto mudámo-nos e agora, estou a 2 dias da minha data prevista de parto (aka 40 semanas de gravidez).


Seguindo em Frente

Percebi que, à medida que a minha vida foi andando, eu precisava de me permitir a abrir mão de certas coisas. E vocês podem interpertar isso com o facto de eu não ter publicado mais aqui, mas não tem necessariamente a ver com isso. Não foi uma decisão consciente parar de escrever e compartilhar minhas reflexões aqui, mas depois de como fiquei sobrecarregada com a vida em si no decorrer do inicio do ano, devo admitir que colocar zero pressão sobre mim mesma para publicar aqui e criar conteúdo para as minhas redes sociais, foi a melhor das decisões que eu tomei e uma coisa a menos para me preocupar.

Acabei por perceber quais são as coisas que mais valorizo, e o tempo é uma delas. Agora estou finalmente a aceitar a possibilidade de abrir mão de certas responsabilidades para ter mais tempo para me concentrar nas coisas que realmente quero, como as redes sociais e o meu projecto Com Amor, e deixar um pouco mais de lado as outras coisas que eu priorizava (ou achava que priorizava). Não me vou comprometer a aparecer aqui todas as semanas, também não me vou comprometer a trazer sempre conteúdo incrível e fantástico, até porque acho que já nem sei fazer isto. Mas vou deixar-me levar e quando sentir a verdadeira vontade irei escrever e fazer as minhas aparências como se nada se tivesse passado.

PS: Se este post estiver confuso, ou sem qualquer estrutura não me julguem, eu queria mesmo passar transparência para vocês e escrevi isto como se estivesse a ter uma conversa de café. Sem pensar muito e sem estar preocupada com gramática. 

Ciao por agora,
Beatriz Cruz

You May Also Like

0 comentários